Seguir por e-mail

quarta-feira, 22 de junho de 2011

O quarto segredo de Fátima


Olá crianças,
Em uma semana em que foram quebrados os sigilos dos principais sites do mundo, o que mais se fala no Brasil é sobre o sigilo eterno defendido a unhas e dentes por dois personagens muito conhecidos do eleitor, José Sarney e Fernando Collor.
Acontece que alguns documentos considerados ultrassecretos pelo governo são mantidos desde que o Brasil se tornou uma república e com receio de que algumas figuras ilustres da história como o Barão do Rio Branco ou Marechal Deodoro ficassem mal faladas estes segredos foram mantidos a sete chaves. Pouca gente se preocupava com isso até o fim do período da ditadura, onde todos queriam saber sobre as podridões cometidas pelos militares.
Nossa presidenta, durante toda sua carreira política lutou para que esses segredos fossem revelados, porém os dois membros do senado, ambos ex-presidentes, se mostraram bastante contrários a isso. O projeto é de que os documentos secretos pudessem ser abertos após o período de 25 anos e em alguns casos após 50 anos e não mais que isso.
Eu sinceramente não consigo imaginar o que pode sujar mais a bela história desses dois presidentes, mas só pelo fato de ambos serem contrários a abertura dos documentos, eu sou totalmente a favor!!!

BeijUnda e até a próxima.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Negócio de grego

Olá crianças,

Estamos ouvindo falar muito sobre a crise na Grécia e muitos de nós perguntamos, e eu com isso? bem com a Grécia eu não sei, mas a história é bem semelhante a algo que está ocorrendo por essas bandas do Sul da América.
Acontece que o que “lascou” com a vida da Grécia foram os Jogos olímpicos de 2004.
O país gastou 8,9 bilhões de Euros para a sua realização e com menos de 200 dias para as olimpíadas as obras ainda não estavam prontas, por conta dos atrasos algumas obras, como o teto do parque aquático, não foram concluídas.
Enxergaram alguma semelhança com o que acontece hoje na república das bananas?
O governo grego escondeu enquanto pode a verdadeira situação, gastaram um bocado, mostraram ao mundo que eram capazes de realizar um evento dessa magnitude, realmente eram capazes, porém, por conta de um governo ruim o país começou a se afundar em uma crise que, a cada dia que passa se torna pior.
Por aqui não teremos apenas os jogos olímpicos, mas também uma copa do mundo (apenas os dois maiores eventos esportivos do mundo), e como nunca antes na história desse país estamos caminhando para um buraco sem fim, a taxa de juros é cada vez maior, nossa inflação está voltando a passos largos e a carga tributária está pior do que nunca. Particularmente eu tenho uma certa pena da Dilma que acabou assumindo uma mega-bomba de seu antecessor, o presidente que se comparou a Juscelino conseguiu fazer o “inconseguível” (eu sei que essa palavra não existe, mas não encontrei uma melhor), tendo os dois maiores eventos do mundo nas mãos para obter renda e melhorar a infra-estrutura do país, mesmo com a economia estabilizada pelo governo anterior, colocou o país na beira do precipício, mas tenho total confiança de que o PT tomará a decisão correta: Dará um passo a frente...

BeijUnda e até a próxima

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Terra de ninguém

Olá Crianças,

Ouço falar de Cesare Battisti desde o finalzinho do mandato do velho molusco, tudo o que eu sabia sobre esse sujeito é que ele havia matado um punhado de gente na Itália e havia corrido para o Brasil para se livrar da pena, pois afinal em todos os filmes de Hollywood o bandido foge para cá e é esquecido.
Ele fugiu para o lugar certo, afinal não foi esquecido, porém encontrou no nosso ex-presidente um padrinho em tanto, um protetor capaz de dar aulas a Don Corleone, o Poderoso Chefão.
Como não sabia direito quem era o fulano, resolvi procurar na internet e para minha surpresa encontrei a foto de uma placa de homenagem em uma rua de Roma com o mesmo nome, confesso que fiquei surpreso, mas logo descobri que este era outro (que era considerado um herói na Itália) e havia morrido em 1916.
Enfim encontrei o protegido do Don Corleone Tupiniquim e a ficha de Battisti não é muito diferente dos bandidos que conhecemos; foi preso pela primeira vez por furto quando tinha 18 anos, dois anos depois foi preso por assalto a mão armada e logo após ser liberto foi preso mais uma vez, dessa vez conheceu Arrigo Cavallina que o introduziu ao PAC (não é o nosso PAC, o que eu não tenho dúvidas de que também hajam alguns criminosos se utilizando da sigla, mas o Proletários Armados pelo Comunismo).
O grupo é acusado de quatro assassinatos, dois deles após resistência de assaltos.
O sujeito foi preso, mas conseguiu fugir e depois de um passeio pela França, México (onde participou até de um Festival do Livro) e França novamente, é ameaçado ser extraditado (o que já deveria ter acontecido a muito tempo, diga-se de passagem), resolve fugir para a república das bananas fazendo antes um tour pela Espanha e Portugal.
Em 2007 foi preso no Rio de Janeiro.
Em 2008 o Comitê Nacional de Refugiados rejeita seu pedido de refúgio.
Até aí tudo certo, dentro da lei, porém em 2008, com a ajudinha de Tarso Genro, um recurso concede a ele o sonhado refúgio baseado na tese de perseguição política.
O Bacana é que Brasil e Itália possuem um acordo de extradição e uma parceria no que diz respeito à criminosos (acho que possuíam).
Não sei se os Petistas confundiram o Battisti com o do começo do século XX, não sei se quiseram compensar o fato do Brasil ter extraditado Olga na segunda guerra ou se já achavam ser de praxe abrigar bandidagem, levando em consideração que o ditador Paraguaio Alfredo Stroessner ficou aqui até morrer; a questão é que por um problema que não era nosso criamos uma situação bastante desagradável com a Itália e essa situação piorou nessa madrugada, pois simplesmente libertaram o homem, isso mesmo, libertaram Battisti, ainda não sei sob qual argumento, mas o cara está na rua!
Enquanto Itália e Brasil brigam para decidir o destino de Battisti, essa hora ele já deve estar preparando seu passaporte com um novo destino, quem sabe agora ele não vai passar o inverno em Bariloche...

BeijUnda e até a próxima.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Que acidente...


Olá Crianças,

Essa semana, nosso amigo José Ribamar Ferreira de Araújo Costa ou para os íntimos José Sarney, inaugurou o “Túnel do tempo” no senado, que nada mais é do que uma galeria com os fatos históricos do nosso glorioso governo;  acontece que nesse painel foi excluído um fato que eu e todos os brasileiros (com exceção de alguns membros da família Collor) consideram importantíssimo.
Este evento que estou me referindo, trata-se nada mais, nada menos do que a maior vitória do povo contra um governo pós-ditadura que é o Impeachment do Presidente e atual senador Fernando Collor de Melo. Após ser questionado sobre o evento excluído Sarney disse que este evento foi apenas um acidente na história e não deveria ter acontecido.
Ouvi uma comentarista da CBN (infelizmente não me lembro quem foi) que falou algo que concordo plenamente: “Um acidente foi o governo Sarney”. Realmente, este foi o maior acidente da história do país, depois de longos anos de ditadura militar e após a morte do VERDADEIRO presidente, aquele que não era exatamente um opositor dos militares assumiu o poder e fez o pior, isso mesmo, o PIOR governo pós-ditadura (até o governo Collor trouxe algum benefício ao país, basta lembrar da abertura econômica e a renegociação da dívida).
Após todas as críticas Sarney deu pra trás, falou que não foi ele quem criou a exposição, de qualquer forma os fatos apagados da história voltarão (http://g1.globo.com/politica/noticia/2011/05/sarney-anuncia-que-impeachment-de-collor-voltara-galeria-do-senado.html) .
E no fim, é como se nada tivesse acontecido... como sempre!

BeijUnda e até a próxima.