Seguir por e-mail

domingo, 27 de março de 2011

Água mole em pedra dura, tanto bate até que molha tudo ou acaba a água.

Olá crianças,

Tivemos uma semana bem agitada, Problemas com a usina em Fukushima, intervenção militar na Líbia (da qual o Brasil absteve-se de dar sua posição acreditando que agradaria todo mundo e não agradou ninguém), crise no Iêmen, Bahrein, Tunísia, Jordânia e Omã (que por sinal ninguém nem lembrava que existia), visita do Obama ao Brasil (que praticamente foi uma viagem de turismo antes da viagem que realmente importava para ele na América Latina - O Chile – onde realmente foram discutidos assuntos reais e importantes para a América Latina), foguete Palestino atingindo Israel e o ataque aéreo de Israel à Gaza (o que infelizmente está se tornando comum por lá), a biografia do Sarney (o nosso dinossauro maranhense) que foi lançada pela jornalista Regina Echeverria onde foram disfarçados os escândalos de sua belíssima carreira, a morte de Elisabeth Taylor (para os mais novinhos foi uma grande atriz, interpretou Cleópatra em um dos grandes clássicos do cinema), a “historinha” da ficha limpa e é claro, o Centésimo Gol do Rogério Ceni (parabéns goleirão); um assunto que me chamou a atenção foi o chamado Dia Mundial da Água, celebrado na última terça feira.
O dia mundial da água foi criado pela ONU em 1993 basicamente para conscientizar o mundo da necessidade de economizar água, então todo dia 22 de março o mundo deve tomar ações concretas para que realmente haja uma economia, nesse dia as luzes foram apagadas (inclusive de grandes monumentos como Torre Eifel, Estátua da liberdade e Cristo Redentor), todo tipo de chafariz deixaria de funcionar, as torneiras do mundo todo se manteriam fechadas e até eu, que adoro um banho demorado, em homenagem ao dia mundial da água, resolvi não tomar banho nesse dia (ainda bem que estava frio em Curitiba).
Essa data foi marcada por palestras sobre economia e reaproveitamento, grandes discursos sobre a importância e da escassez desse bem tão precioso. Houve até a acusação de Hugo Chavez ao capitalismo pelo fato de não existir mais vida em Marte http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,chavez-diz-que-capitalismo-por-ter-acabado-com-a-vida-em-marte,695684,0.htm (é isso aí, vamos acabar com eles antes que nos invadam e acabem com a gente).
Eu acho bastante louvável atitudes como essas e torço para que cada vez mais o mundo se mobilize para eventos assim, o único problema que vejo é que a atitude normalmente morre aí!
No resto do ano vemos pela cidade fontes jorrando, pessoas lavando calçadas com a mangueira ligada sem controle nenhum (água que talvez daria para lavar a rua inteira), banhos demorados (inclusive o meu), desperdícios absurdos.
Além disso, ouvimos falar muito pouco sobre fontes de energia renovável como Solar, eólica, biomassa (este exige alguns cuidados especiais, mas ainda assim é uma possibilidade).
Morei durante algum tempo em Maceió e mesmo sem conhecimento profundo sobre essas tecnologias, tenho certeza que seria um grande candidato para a criação de uma usina independente do tipo de energia escolhida, ou vai me dizer que nos Estados Unidos possui mais vento do que o nosso nordeste (maior produtor de energia eólica no mundo)?
O custo para a criação de um aerogerador é realmente altíssimo, porém este custo é compensado pelos gastos com manutenção, que são baixos em relação a outras fontes de energia e pelo combustível que é gratuíto (pelo menos até o governo começar a cobrar pelo vento).
Estamos falando apenas de energia eólica e vimos que é possível, não  falta matéria prima, o que falta é investimento...... ou seriam conflito de interesses???

BeijUnda e até a próxima (já vi que manter fixo a Segunda feira não tá dando certo...)

2 comentários:

  1. 1) Só te dizer: freguês voltou uma pinóia. Ficaram 4 anos pra poder tirar o Corinthians de cima. Não tem nada que ficar falando. E gol do Nojério Ceni não é digno de nota para além da bambizada. E tenho dito.
    2) Atitude em relação à água? Só no dia em que o Brasil tomar atitudes como as dos países ricos (onde falta água): sobretaxar, mais ainda, a água de consumo, pra que as pessoas busquem alternativas ou baixem o gasto. Na Índia, ninguém paga conta de água segundo o consumo, e sim uma taxa de mais ou menos 3 reais por mês pra ter água à vontade (e lá a água já está acabando). Considere que aqui não usamos nem 1% da capacidade aquífera.
    3) Turma da Mônica é o que há. Não perde a atualidade nunca.
    4) Pra que se amarrar na segunda-feira? Blogueiros postam quando sentem necessidade de compartilhar algo.

    ResponderExcluir
  2. Ah, avaliei mal o post só por causa do Bambério Ceni

    ResponderExcluir